O Eliodomestico tem capacidade de conversão de, em média, cinco litros de água potável por dia. (Foto: Divulgação)O Eliodomestico tem capacidade de conversão de, em média, cinco litros de água potável por dia. (Foto: Divulgação)
O designer italiano Gabriele Diamanti projetou uma ferramenta de uso e manutenção da água bastante útil e simples. Seu Eliodomestico é um filtro capaz de purificar a água apenas com o uso de energia solar.
O bem arquitetado conceito consiste em uma construção em terracota em que estão dispostas duas áreas de acúmulo de água. Para dar início ao processo de purificação, basta colocar a água impura no compartimento semelhante a uma panela, localizado em cima do Eliodomestico, e aguardar a energia solar se encarregar de finalizar o processo.
A purificação é bastante simples e envolve conceitos conhecidos da química. Com o ganho de calor, catalisado pela tampa em zinco do produto, a água passa a vaporizar-se, deseprendendo-se das impurezas antes contidas em seu estado líquido.
Ainda na altura da tampa de zinco, encontra-se um tubo que conduz o vapor à área inferior do filtro. Nela, o vapor entra em contato também com uma superfície metálica, que, graças à diferença de temperatura, condensa o líquido, disponibilizando e armazenando água potável.
Apesar do conceito aparentemente parecer algo básico demais, nenhum processo de filtragem de água do gênero gera um saldo tão positivo quando o do Eliodomestico, mesmo aqueles que envolvem uso de energia e recursos mais sofisticados.
Com capacidade de conversão de, em média, cinco litros de água potável por dia, sob boa condição solar, o Eliodomestico poderá ser um grande companheiro a populações que vivem em áreas sem muitos recursos hídricos.