Elementar, meus caros nerds! Vamos dar um passeio por Londres e conhecer a moradia de Sherlock Holmes, o maior detetive (ficcional) de todos os tempos!

Sherlock Holmes surgiu pela primeira vez nas páginas de Sir Arthur Conan Doyle em Um Estudo em Vermelho, datado de 1887. A famosa Baker Street, situada na rica zona oeste de Londres, não tinha o número 221B nos seus domínios, visto que a pequena rua era numerada apenas do 1 ao 85 à época.

Acredita-se que o número foi escolhido ao acaso por Conan Doyle, apesar de muitos aspectos nos contos do criminalista e seu fiel companheiro médico fazerem jus à própria vida do autor. Doyle, assim como Watson, também era médico e serviu na guerra, sendo posteriormente condecorado Cavaleiro da Rainha por seus serviços. Ele também escolheu uma rua bem movimentada para seu consultório médico, assim como Sherlock escolheu um endereço bem localizado. Apesar disso, o movimento do seu consultório era fraco, o que fez com que Sir Arthur se voltasse para os seus escritos (que bom que não apareciam clientes para o médico!).

Mas, voltando ao endereço de Sherlock, em 1930 a rua Baker foi ampliada, tornando real o endereço fictício mais famoso da história da literatura. O número passou a ser morada da associação Abbey Road Building Society, porém quase que imediatamente ao seu surgimento, a caixa postal passou a receber cartas e mais cartas endereçadas ao famoso criminalista! Imagina a zorra que foi isso! Sendo assim, o número 221B passou então a abrigar o museu de Sherlock Holmes.

221B – O museu de Sherlock Holmes

Este slideshow necessita de JavaScript.

A vizinhança

Mas não vamos nos ater apenas à morada do nosso querido detetive! As histórias de Sherlock passeiam por vários cartões postais da capital britânica como Fleet Street, Oxford Street, Strand, Pall Mall e Tottenham Court Road.

Os cenários do criminalista entre o fim do século XIX e início do século XX

Este slideshow necessita de JavaScript.

E é lógico que não poderia faltar a sede da polícia britânica, que deve ter sofrido horrores de descrédito por pelo menos um século ou dois, já que o excêntrico Sherlock Holmes não só ajudava a resolver seus casos como também sentia imenso prazer em desdenhar de suas conclusões erradas e mostrar sua superioridade intelectual sobre a polícia.

Scotland Yard

Já dá pra montar um roteiro londrino, né galera?!

De bônus, pra quem é fã da série Sherlock, protagonizada por Benedict Cumberbatch e Martin Freeman, deixo aqui o link do blog do Dr Watson (elementar, meus caros, o blog existe!): The personal blog of Dr. John H. Watson

A viagem continua!

Veja também na série Nerd Trip:

A floresta encantada do Rei Arthur

O castelo do Conde Drácula

A floresta de Robin Hood