Em 2018 o MCU (Universo cinematográfico Marvel) completará 10 anos, não há dúvidas de que a ideia de universo é um marco para o cinema, mas será que a fórmula Marvel sobreviverá por muito mais tempo? Thor Ragnarok nos dá uma ótima resposta para isso, confira nossa opinião sobre o terceiro longa do nosso querido Odinson.

A primeira coisa que aprendemos com as adaptações dos quadrinhos é que eles são uma fonte da qual o filme bebe, mas tem total liberdade para ajustar a história e os personagens caso necessário, coisa que a Marvel consegue fazer muito bem, na maioria das vezes. Os primeiros filmes de Thor não são empolgantes, eles nos contam a história, mas não nos aproxima do herói. A personalidade do Thor dos filmes é bem diferente do Thor dos quadrinhos e até aqui a Marvel não tinha encontrado o ponto exato do personagem para o cinema. E é aqui que o Ragnarok começa, Chris Hemsworth encontra o ponto exato de seu personagem e nos apresenta o verdadeiro deus do trovão.

O filme não tem complexidade em sua trama, por isso nos apresenta o caminho que Thor seguirá com muita clareza. O humor do diretor Taika Waititi cai como uma luva para a trama, que abusa das piadas, mas não atrapalham os pontos de seriedade do filme. Tom Hiddleston mais uma vez nos mostra que Loki deve continuar por muito tempo no MCU. Thor reencontra Loki em Asgard tomando o lugar de Odin, e é a ausência de Odin que inicia o Ragnarok. Odin fica na terra em seu exílio. Na procura por Odin na terra, Thor e Loki encontram o Dr. Estranho que parece muito mais à vontade com seus poderes. A participação de Odin é pouca, mas importante para a trama. A apresentação da vilã Hela é digna de Cate Blanchett, sem dúvidas um dos melhores vilões do MCU, as cenas de luta, principalmente quando Hela dizima o exército de Asgard mostrando a fúria da deusa da morte. Mas o ponto alto do filme é o encontro com Hulk, a batalha entre os vingadores é extraordinária e descobrimos que Thor existe sem seu martelo, a trama paralela de Hulk é muito bem aproveitada e deixa claro o caminho da gigante esmeralda até as arenas em Sakaar.

A Conclusão do Ragnarok não segue a fórmula Marvel como esperávamos e nos traz algumas surpresas. Aparentemente Hela é derrotada, esperamos sinceramente que ela não tenha morrido, pode ser muito melhor aproveitada para o futuro dos filmes. A destruição de Asgard traz uma mudança importante dentro do universo Marvel. O filme entrega o verdadeiro Thor do cinema, poderoso, líder de Asgard, com humor no tom que o cinema precisa para seu personagem. Não exagero ao dizer que temos um dos melhores filmes solo da Marvel.

Thor: Ragnarok – Nota: 9

Direção: Taika Waititi
Elenco: Chris Hemsworth, Cate Blanchett, Tom Hiddleston, Idris Elba, Jeff Goldblum, Tessa Thompson, Mark Ruffalo, Anthony Hopkins.

Confira o trailer do filme: