“O que você precisa saber para não entrar em pânico!”
Foto tirada em Novembro de 1978.

Para você que ainda não conhece o Mingo (cara realmente muito incrível – traduzido direto do Guia), Douglas Adams, ou para você que gostaria de saber mais sobre um dos melhores escritores da galáxia, esse post é além de especial! Porque este dia é especial!

Em 1971, quando Adams tinha dezenove anos e mochilava pela Europa com um exemplar do “Guia do Mochileiro da Europa”, além de estar sem grana até para pagar pra dormir num albergue, estava cansado e bêbado.

Deitado em um campo em Innsbruck e olhando para as estrelas, ele teve o seguinte pensamento: “Alguém realmente devia escrever um Guia do Mochileiro das Galáxias”.

Essa ideia ressurgiu quando, após cinco anos, tentou encontrar uma razão pela qual um alienígena visitaria a terra.

Adams e sua guitarra!

Douglas Adams abandonou sua vontade de ser astro do rock; lembramos que ele era um guitarrista incrível. Ele chegou a se considerar “um fracasso de vinte e quatro anos” depois de diversas tentativas frustradas de ser ator e escritor.

Foi Simon Brett em 1976, um produtor de rádio e televisão, quem percebeu que ele precisava de um programa próprio. Disse que suas ideias eram muito boas, mas sempre quis fazer algo com ficção cientifica, eis que Douglas começou a trabalhar essa ideia.

Os Fins da Terra

A série teria o nome de (The Ends of the Earth) “Os Fins da Terra”, mas Douglas se lembrou do campo em Innsbruck e pensou: “Ok, ele vai ser um pesquisador de campo do Guia do Mochileiro das Galaxias”. Então escreveu um esboço de três páginas para o primeiro episódio.

A série começou a ser produzida na BBC nas quartas às 22h30, e ficou popular mais rápido do que os produtores podiam imaginar. Afinal, as pessoas que ouviam o programa indicavam para outras pessoas, fãs de ficção cientifica adoravam e as pessoas que gostavam de comédia também, pois o Guia além de ficção ainda tinha muita comédia.

Na série O Guia Do Mochileiro das Galaxias, adaptado para BBC.

Devido ao sucesso da série de rádio, logo as editoras estavam enlouquecidas para publicar o “Guia” e a Pan conseguiu esse acordo. Mesmo que Douglas tenha demorado muito além do prazo e ainda entregado o livro sem ter terminado como gostaria.

De qualquer forma o primeiro livro que conhecemos hoje “O Guia do Mochileiro das Galaxias”, em três meses, vendeu mais de 250 mil exemplares. Além de que, em 1979, entrou para lista dos “Melhores do Ano”! E, particularmente, eu acho mais que merecido.

O Que Você Precisa Saber

Douglas havia enviado roteiros para a série televisiva “Doctor Who” e, com o sucesso do guia, logo veio o convite para ele escrever alguns episódios. Ele ficou quinze meses em Doctor Who! Ainda assim conseguia escrever uma segunda temporada para o Guia na rádio e ainda a adaptação teatral.

Produziu também (Black Cinderela II Goes to East) Cinderela Negra II vai ao Leste, editou roteiros, e revisou para Doctor Who. Além de participar de Monty Phyton.

O Guia do Mochileiro das Galáxias virou filme em 2005, quatro anos após a morte de Douglas.

Elenco do filme de 2005.

Curiosidades

Em 2005 um asteroide passou a se chamar 2001 DA42 (ano da morte de Douglas, as iniciais e a resposta para a pergunta fundamental sobre a vida, o universo e tudo mais).

O Guia do Mochileiro das Galaxias também virou quadrinho em 1993.

Douglas Adams disse que adorou o filme 2001 Uma Odisseia no Espaço (dirigido por Stanley Kubrick), tendo assistido ao filme seis vezes, e lido o livro (escrito por Arthur C. Clarke) duas.

Um dos livros também foi adaptado para jogo de computador, criado com ajuda de Adams.

Foi uma honra!

Isso é bem pouco comparado a história de Douglas Adams. Esse cara genial que nós tivemos a honra ter nesse planeta! De ler suas historias incríveis enquanto estava no ônibus as 5 da manhã; rindo feito louco(a)! Que nos fizeram chorar quando acabou e ainda mais de saber que ele se foi.

Então, onde quer que você esteja, até mais e obrigado pelos peixes.

Xoxo!!