Crítica | I Am Not Okay With This

I’m Not Okay With This, é a mais nova serie da Netflix que foi adaptada da HQ homônima escrita por Charles Forsmannova. A Trama se passa em torno de Sydney (Sophia Lillis), uma adolescente que está de luto pelo suicídio do pai e os problemas típicos dessa fase, o descobrimento de sua sexualidade e de quebra superpoderes.

A direção está na mão de Jonathan Entwistle, que também é responsável por outro sucesso do catalogo do serviço de Streaming, The End of the F****ing World, e isso é fator bem visível. É fácil reconhecer a nuances que aproximam as duas obras, fotografia, roteiro, narração, ate a forma melancólica que tudo é passado, vagando entre o drama e comedia sádica.

A série em si não é algo muito inovador, mas deixa claro que não tem a pegada “fofinha” de seriado adolescente e isso agradou bastante aos espectadores, no Rotten Tomatoes, a série conquistou 80% de aprovação.

Essa simplicidade é algo bastante satisfatório, não é algo forçado ou fantasioso, apesar de ter o assunto do poder sobrenatural de Syd, ele é algo que fica em segundo plano, como se os poderes fossem são uma analogia para conflitos que a jovem passa, como o luto, o amadurecimento, a descoberta sexual, depressão e ansiedade e a resolução de tais conflitos prendem o publico.

Outra coisa que chama bastante atenção é a escolha de elenco, as carinhas principais não são desconhecidas ao publico, Sophia Lillis e Wyatt Oleff já trabalharam juntos em It, a coisa e a cumplicidade e parceria de ambos ficou evidente em nos papeis de Sydney e Stan, alias ele rouba muito a cena cada vez que faz alguma aparição carregando toda sua excentricidade. Uma revelação bastante satisfatória é Aidan Wojtak-Hissong que aproveita bem o roteiro louco, no papel de Liam, irmão de Syd.

Os episódios são todos muito curtos, são um total de 07, que não passam de no máximo 20 minutos e isso faz com que a trama não exagere não muito e que os acontecimentos e te entreguem algo rápido para assimilar. Apesar dessa rapidez a temporada consegue desenvolver seus adolescentes sob outras referências, como no bom e velho truque famoso no filme O Clube dos Cinco, coloca os adolescentes na detenção e conta uma versão resumida da historia deles.

O seriado estreou muito bem, agradando bastante ao publico e deixando aquele gostinho de quero mais e pra ontem. O final inconclusivo e puxa um ganho maravilhoso para próxima temporada que ate o momento foi confirmada mas com certeza está sendo bem aguardada.

Leia Mais
Monster Hunter: World | Novas armaduras, armas e monstros são revelados em vídeos ÉPICOS
%d blogueiros gostam disto: