Um dos maiores sites de review do mundo, TomsHardware, obteve com exclusividade uma amostra do tão aguardado Intel Core i7 3960X Sandy Bridge-E, um processador de 6 núcleos físicos mais 6 simulados totalizando 12 threads, trabalhando a 3.3GHZ com 15MB de cache L3, TDP de 130W e suporte a memórias de 4 canais DDR3-1600. Além do 3960X, há previsão de lançamento para mais 2 modelos Sandy Bridge-E: o 3930K que trabalha a 3.2GHZ com 12MB de cache L3 contendo 12 threads, e o 3820 que trabalha a 3.6GHZ, 10MB de cache L3 e 4 núcleos físicos mais 4 simuladores totalizando 8 threads (todos os modelos de Sandy Bridge-E citados trabalham com memória DDR3-1600 de 4 canais, tem TDP de 130W e multiplicador de clock desbloqueado somente para o 3960X e o 3930K). Segue as especificações:

imagem

imagem

Não é surpresa pra ninguém que o Sandy Bridge-E requer novo socket, o LGA 2011 (com mais esse, já é a 4ª vez que a Intel muda de socket em apenas 3 anos). Lembrando que o socket LGA 1366 não é compatível com o LGA 2011. Com o novo socket, um novo chipset foi desenvolvido: o X79. Segue sua especificação:

imagem

O X79 acrescenta pouco ao que a Intel já tinha em se tratando de chipset, apesar de trazer algumas melhorias notáveis, como suporte a DDR3-1600 de 4 canais e mais linhas PCI-e, no geral, esse chipset X79 se assemelha muito com o P67. Até então estimava-se que o Sandy Bridge-E viria com suporte a PCI-e 3.0, recurso não presente no processador testado (lembrando que suporte a PCI-e é dependente de processador, não adianta a placa-mãe ter suporte se não há no processador).

Com relação a overclock, o Sandy Bridge-E trará “novas” formas de se fazer isso. Dois dos três processadores supostamente planejados terão multiplicador de clock desbloqueado, chegando a 57x. Já o i7 3920 trará multiplicador mais elevado no Turbo Boost assim como no i5 2500 e i7 2600 sem o K.

Bom, chega de enrolação, é hora dos testes. Segue a configuração do hardware testado:

imagem

Para fins de comparação, foram incluídos os resultados do Intel i7 990X, Intel i7 2600K e AMD Phenom x6 1100T:

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

imagem

Por fim, o desempenho em jogos:

imagem

imagem

imagem

Baseado no teste feito, constatamos que o Sandy Bridge-E oferece mais velocidade para desktop, mas onde ele brilha é em multi-thread (o que o faz um ótimo negócio para servidores). Contra o i7 990x, o i7 3960X é mais rápido em quase todos os cenários, mais de 30% se usar como referência o Blender. Mas não podemos ignorar o fato que Sandy Bridge i7 2600K é melhor em single-thread, ou em softwares que não utilizem mais que 4 núcleos.

Do ponto de vista do revisor, a plataforma X79 pode não durar tanto quanto a X58. Sem PCI-e 3.0, ou conectividade de armazenamento mais avançadas (USB 3.0 e mais portas Sata 3), o chipset X79 acaba sendo uma variação do P67 ou Z68.

O que justificaria pagar 1000 dólares num processador? Desempenho maciço em multi-thread, mais especificamente em softwares que utilizem muitos núcleos ou em servidores. Já em outros cenários (jogos principalmente), é difícil achar uma boa razão para isso, sabendo que o i7 2600K tem melhor desempenho custando 3x menos.

por arabasso, fonte: Tomshardware