O “time dos sonhos” representante do Brasil levou dois bailes e está eliminado do All-Star 2017.

A noite do Brasil começou por volta da 00:00 contra o Sudeste Asiático (GPL). No início o sonho parecia real, o Brasil começou muito bem o jogo, grandes lances do Revolta junto de Vert, e o Vel’Koz do Kami conseguindo se manter bem na rota.

O Olaf de Revolta parecia uma locomotiva de kill, conseguindo ficar 3/0 e estando onipresente no mapa.

Porém, um start (iniciação) completamente equivocado no top por parte do time brasileiro, permitiu um split push limpo para a Sivir de Dantiz que marchou pela bot lane, derrubando toda a rota e abrindo o inibidor para que, após alguns minutos de partida, a GPL fechasse o jogo por aquela rota aberta.

Para se manter na competição, o Brasil precisava vencer a GPL para forçar, no mínimo, um desempate em seu grupo.

Porém, após esse avanço de Dantiz pelo bot, o time brasileiro começou a se perder, e os objetivos foram caindo um por um até que o Nexus azul ficasse exposto, garantindo a vitória da GPL e eliminando o Brasil do All-Star 2017.

Contra a China, seria vitória BR?

Com tudo perdido, o Brasil seguiu para seu terceiro e último jogo do All-Star 2017 contra a China (LPL) e, como de costume e como não valia mais classificação, o Brasil escolheu campeões para que fosse um verdadeiro show para o público.

Na fase de bans, o Ornn e a Zoe, campeões extremamente fortes para o meta atual, ficaram abertos, forçando que a LPL deixasse um dos dois passar para o Brasil, e assim foi. A LPL escolheu o campeão Ornn como primeiro pick e o Brasil nem pensou duas vezes e escolheu Zoe para as mãos de Kami em sua primeira rotação.

Com uma composição com Trundle para as mãos de Vert, Lee Sin para as mãos de Revolta, Zoe para as mãos de Kami, Draven para as mãos de BrTT e Blitzcrank para as mãos de Dioud, esperava-se no mínimo um grande show, disputado e bem dinâmico, principalmente quando em poucos segundos do início do jogo, Dioud acertou um belo Puxão forçando a Kalista da LPL gastar um flash desesperado.

Porém o que se viu foi um show de horrores por parte do “dream team” brasileiro. A China atropelou completamente o Brasil sem deixar vestígios da existência de nossos pro-players. O placar de abates estava em 3×1 para a China, você olhou para trás e quando voltou já estava 8×1, quando piscou já estava 20×1 com uma vantagem em ouro por volta dos 16 mil para a China… E isso tudo em 20 minutos de partida. O placar subiu tão rápido que nem deu tempo do 7×1.

Com Xiye jogando sozinho no mid com sua LeBlanc, já que a Zoe do Kami, aparentemente, não entrou no jogo, e Vert sendo completamente anulado pelo Ornn, a LPL coroou sua vitória dando um “instakill” no time brasileiro.

Será se o BrTT conseguiria salvar a noite brasileira novamente? Que nada.

No duelo 1X1, coincidentemente espelhado de MissFortune, contra o atirador Uzi, a escolha de itens iniciais e a primeira troca garantiram vantagem para Uzi que ficou à frente em farm durante todo o confronto e, após 08:00 minutos de partida, o atirador da China garantiu a vitória por 100 de farm, eliminando completamente o Brasil do All-Star 2017.

O sonho brasileiro acabou, porém, o All-Star 2017 continua e ainda temos muito League of Legends do mais alto nível para assistir! Então não perca as partidas dos dias 09 e 10 de dezembro.

E você, o que achou dessa composição de pro-players do “time dos sonhos” brasileiro? Acha que outros jogadores do cenário mereciam ter ido representar o Brasil no All-Star 2017?

Loading Facebook Comments ...

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here