‘Quebra da quarta parede’ é o momento em que deixa de existir um muro entre o mundo real e o fictício, quando a comunicação acontece!

 

Sabe aquele momento em que você está assistindo um filme e o personagem simplesmente para e se dirige diretamente à você? Sim, ele está falando com você, telespectador! Isso também acontece em séries, livros, HQ’s e games.

A quarta parede existe em quatro situações diferentes: Quarta parede completamente sólida, quando os personagens acreditam que o mundo onde estão inseridos é real. Quarta parede visível, quando os personagens agem como personagens, mas ficam em dúvida se existe alguém assistindo/lendo sobre si. Quarta parede semipermeável, quando a história tem um narrador que não opina ou quando o autor confronta seus personagens. Quarta parede quebrada, quando o personagem tem consciência de que está em uma obra fictícia e se dirige diretamente ao leitor/telespectador/jogador ou ao autor da obra.

Confira agora os melhores momentos de quebra da quarta parede na cultura pop:

Filmes

O Mercenário Tagarela usa o recurso inúmeras vezes, inclusive no recente trailer de Deadpool 2, ele chega a questionar a produção de efeitos especiais do próprio filme e garante ao público que ele próprio irá cuidar da tarefa. Você pode conferir e gargalhar clicando aqui.

Curtindo a Vida Adoidado

Um dos mais famosos casos de quebra de quarta parede no cinema é o clássico Curtindo a Vida Adoidado, onde o personagem principal Ferris Bueller fica durante toda a trama explicando ao telespectador os motivos para suas travessuras ou até mesmo dando lições de curtição.

O Show de Truman é um outro exemplo, só que um pouco diferente: o personagem não se dirige ao telespectador, mas ele cria consciência de que está vivendo dentro de um contexto ficcional.

Séries

Na produção da Netflix Desventuras em Série, baseado em uma série de livros homônimos, o narrador está sempre conversando com o telespectador sobre as calamidades sofridas pelos Baudelaire. Antes de contar o próximo acontecimento na vida dos desaventurados irmãos, ele sempre insinua que você acha que já basta de sofrimento e que agora eles serão felizes.

Em House of Cards o personagem Francis Underwood está sempre explicando pra você todas as maracutaias relacionadas à ambição política de conquistar um alto cargo no governo. Durante a trama ele explica seu plano manipulativo ao público, detalhando os passos para chegar onde quer.

“Oi, eu sou o Goku!”

Nos animes, a situação de quebra da quarta parede mais clássica é de Dragon Ball Z. Quando o episódio termina, você olha pra tela e lá está aquela figura carismática te olhando e dizendo “Oi, eu sou o Goku!”, dando uma espécie de resumo e logo em seguida já engata o tema do próximo!

HQ’s

Nos quadrinhos, Deadpool também mantém o hábito, mas vários outros personagens já conversaram com o leitor, como o Coringa, com sua tentativa de justificar seus atos ou apenas sendo cruel sobre sua forma de ver a realidade. She-Hulk também já bateu altos papos com o público e a dupla Luke Cage e Punho de Ferro chegou a ameaçar as pessoas, caso elas não comprassem os números que estavam com vendas fracas… É mole?!

Turma da Mônica

Dentre as produções brasileiras, a Turma da Mônica faz isso de forma variada: às vezes, o próprio Mauricio de Sousa entra na história pra conversar com os personagens; em outros momentos, a turminha conversa com os roteiristas e desenhistas. Há momentos em que os personagens inclusive demonstram consciência de estarem em uma obra ficcional.

Um dos meus personagens favoritos de HQ’s, o Rorschach de Watchmen, quebra a quarta parede através da escrita do seu diário. Ele está sempre explicando o leitor o que acontece com as pessoas que vivem no seu meio e questiona o leitor algumas vezes sobre sua conduta como justiceiro ou sobre a conduta das pessoas. Logo no primeiro capítulo de Watchmen, ele diz: “(…) Eles tiveram escolha. Todos eles. Podiam ter seguido os passos de homens honrados como meu pai ou o presidente Truman. Homens decentes, que acreditavam no suor do trabalho honesto. Em vez disso, seguiram os excrementos de devassos e comunistas sem perceber, até ser tarde demais, que a trilha levava a um precipício. Não me digam que eles não tiveram opção. (…)”

Livros

Um marco da literatura, A Divina Comédia, de Dante Alighieri coloca o personagem principal da história, o Dante, dialogando diretamente com o leitor quando ele chega ao Purgatório, na busca por sua amada.

Em Contos de Imaginação e Mistério, de Edgar Allan Poe, muitos personagens se dirigem diretamente ao leitor, tentando te fascinar com a história de sua aventura vivida. Em O Coração Denunciador, o personagem resolve contar pra você como ele procedeu com o plano de assassinar “o velho” e lhe questiona sobre sua sanidade: “Ora, eis o problema. Imaginais que estou louco. Loucos nada sabem. Mas deveríeis ter me visto. Deveríeis ter visto quão sabiamente procedi – com que cautela – com que precaução – com que dissimulação empenhei-me na tarefa! (…) Há! – um louco teria mostrado tamanho discernimento?”

O Mundo de Sofia, de Jostein Gaarder

No best-seller O Mundo de Sofia acontece uma situação semelhante ao Show de Truman: os personagens de um livro que está sendo escrito descobrem sua existência dentro de uma obra ficcional e procuram um modo de se libertar.

Games

The Stanley Parable, jogo em primeira pessoa lançado em 2011, é um verdadeiro estilo de interação com o ambiente virtual criado. A história é apresentada para o jogador por meio do narrador, que é o PRÓPRIO personagem que você controla. Ele explica que Stanley, o protagonista, ou seja, ele mesmo, trabalha em um prédio de escritórios e é encarregado de monitorar os dados que surgem na tela de um computador e pressionar os botões apropriados.

Metal Gear Solid, a franquia do mestre Kojima, vem quebrando a quarta parede em diversos momentos ao longo da trama. Existem situações em que personagens dialogam com o próprio Snake para que ele aperte botões no controle do playstation afim de sobreviver a algumas cenas. Além de interações diretas e referências voltadas ao próprio jogador. Provavelmente, a luta contra o Psycho Mantis estraçalha a quarta parede! Em alguns momentos ele deixa sua tela toda branca, como se fosse um problema na imagem, além de várias outras interações que saem desse “ataque ao personagem” e se tornam um “ataque ao jogador”.

Metal Gear Solid

Mas não é só no ambiente digital que a quarta parede é quebrada! Nos famosos RPG’s de mesa essa prática é simplesmente obrigatória, visto que o mestre está sempre questionando os jogadores sobre as escolhas que os seus personagens farão diante de cada situação. Quando o personagem decide o que vai fazer com os pontos dos dados em relação aos itens da sua própria ficha de personagem, ele toma ciência da ficção.

Detetive, da Estrela

Detetive, da Estrela, é um jogo de tabuleiro de investigação, suspense e perícia, inspirado nas obras da romancista policial inglesa Agatha Christie (1890-1976), com os mesmos tons de tensão com surpresa, em que todos os participantes tinham a mesma possibilidade de serem criminosos e/ou detetives. Desse modo, nem mesmo o verdadeiro criminoso sabia que era o criminoso! Eis a quebra da quarta parede: todos serem suspeitos e ninguém saber quem era o assassino até a última carta ser lançada, a troca de informações com o jogador é constante.

E você, padawan, qual a sua quebra de quarta parede favorita? Conta pra gente!

 

Loading Facebook Comments ...