Grite a palavra mágica: SHAZAM! e descubra a magia por trás do monumento mais conhecido em Fawcett City, a rádio onde trabalha o garotinho Billy Batson, o Capitão Marvel.

[Visite os monumentos desta série:]
A Sala de Justiça dos Superamigos.
O Castelo de Grayskull de He-Man e She-Ra.
A Toca dos Gatos e o Olho de Thundera dos ThunderCats.
O Santuário das 12 Casas dos Cavaleiros do Zodíaco.
A Torre Karin de Dragon Ball.
Abel City, a cidade do Megaman.

A Rádio WHIZ, de Fawcett City, uma lição de moral atemporal

A Rádio WHIZ apareceu como segundo grande ambiente para as aventuras do Capitão Marvel (o primeiro era a Rocha da Eternidade), já na primeira aparição do personagem na Whiz Comics #2 (fev./1940), quando este salva a rádio de uma sabotagem ondulatória em série engendrada pelo Dr. Silvana e, em troca, ganha um emprego de radialista na rádio como Billy Batson. Foi a Rádio WHIZ que tirou o menino Billy da condição de pobreza suburbana, quando ele ainda buscava sobreviver na selva de pedra como um menino de rua vendendo jornais.

Ao mesmo tempo, a rádio era um elemento composicional que trouxe consigo uma poderosa lição: a prevalência da honestidade. É que Billy Batson, já de posse de seus poderes mágicos, em tese, não precisaria ter de se submeter a nenhum empregador, sequer precisaria ter de levar a vida dura de criança trabalhadora tragada por uma metrópole. O Mortal Mais Poderoso da Terra poderia obter pra si o dinheiro e o poder secular que quisesse, entretanto, por via ilegais, o que, por consequência, não o faria ser digno de ser o portador da magia.

A Rádio WHIZ surge como um elemento que ensina ao leitor que o trabalho dignifica o homem, de sorte que até os seres superpoderosos têm a consciência disso. Em suma, a Rádio WHIZ nos diz que a honestidade é o que deve guiar o poder e não ser por este sufocada.

Sobrevoo do Capitão Marvel sobre o topo da rádio WHIZ (Whiz Comics #25, dez. 1941). Nessa edição, Capitão Marvel conhece e enfrenta o Capitão Nazi, que se põe em cima da estação de rádio da WHIZ, para atirar o engenheiro Whitey contra o chão. É nessa edição também que dá-se a conhecer a trágica história de Freddy Freeman, o Capitão Marvel Jr. (que, pescando com seu avô, depara-se com o Capitão Nazi – arremessado do céu por um golpe do Capitão Marvel –, que golpeia o avô e o neto, atirando-os ao mar para morrerem afogados. Só Freddy sobrevive, salvo pelo Capitão Marvel, que se vê forçado a distribuir sua magia para ver o garoto viver. A sequela fisiológica de Freddy foi ficar debilitado de uma perna.
Como você reagiria ao descobrir que a WHIZ existe?
Estação da rádio WXYZ, em Detroit, 1941.

Durante décadas se supunha que a Rádio WHIZ, na fictícia cidade de Fawcett City, também fosse fictícia. Mas a revista Betty Boop Show Collection #43 (jan./2015), pp, 14-15, informou que em 1930 uma rádio de nome WXYZ estreou em Detroit (EUA), como um ícone da radionovela até os anos 1950, e que, ainda, devido a sua popularidade, 10 anos depois inspiraria a Rádio WHIZ do Capitão Marvel da Fawcett Publications.

A revista da Betty Boop diz ainda que na real WXYZ legendárias radionovelas como O Cavaleiro Solitário (1933, na voz de George Seaton) e Besouro Verde (1936, na voz de James Jewell) foram líderes de audiência, ajudando a difundir esses personagens e, com eles, sendo a primeira rádio a dar o estrelato a personagens de quadrinhos. Nas HQs do Capitão Marvel, a rádio de Fawcett City, além do seu jornalismo, veiculava radionovelas, séries radiofônicas e recitais musicais, numa espécie de reprodução de toda a playlist da WXYZ de Detroit. Abaixo estão as semelhanças evidenciando quão próximas são as duas grandes rádios WXYZ-WHIZ.

♪ Tanto a WXYZ quanto a WHIZ eram propriedades do grupo (real) ABC Broadcasting.
♩ O nome WXYZ funciona como uma onomatopeia para “whiz”, que quer dizer “zumbido”, precisamente o termo da rádio dos quadrinhos do Shazam.
♭ Nos anos dourados, tanto a WXYZ como a WHIZ foram o coração da urbanidade de suas respectivas cidades: WXYZ, o centro de Detroit; WHIZ, o centro de Fawcett City.
♫ As duas rádios – em virtude de sua imensa popularidade na cultura popular da época – atravessaram a barreira de seus suportes fixos: a WXYZ aparece na canção “Detroit Rock City”, da banda de rock KISS. A WHIZ aparece na animação Batman: Os Bravos e Destemidos, episódio “Os Poderes do Shazam.” Seu repórter Tom Tyler estava transmitindo a notícia do Doutor Silvana como “ataque em Fawcett City”.

É mais outro belo exemplo de como quadrinhos e realidade estão imbricados, um belo exemplo de como o Capitão Marvel ainda é muito presente no imaginário popular do Ocidente. Um belo exemplo de como a ficção prestava grande respeito à profissão da imprensa e do jornalismo, a exemplo de Billy Batson, um personagem que sempre esteve ligado ao jornalismo desde o tempo em que ele vendia jornais nas ruas de Fawcett City.

Um boton do Batman produzido em parceria da rádio com a TV WXYZ recém-inaugurada em 1948 para um fã-clube do super-herói. Um exemplo histórico de como a rádio possuía íntima ligação com os personagens de quadrinhos (crédito: Club Button Museum).
A Rádio WHIZ em animações da TV

O famoso monumento da fictícia Fawcett City apareceu primeiro em The Kid Superpower Hour with Shazam!, que foi ao ar em 1981 na NBC, uma animação da Filmation que transcorria paralela à Superamigos, que veio ao ar no Brasil pela TV Record em 1983. Depois, já nos anos 2000, na animação Batman: Os Bravos e Destemidos, episódio 10, “Os Poderes do Shazam” no Cartoon Network.

De cima para baixo: a fachada da Rádio WHIZ na animação “The Kid Superpower Hour with Shazam!” (1981), e a torre de transmissão em “Os Bravos e Destemidos” (2008).

Deixe-se levar pela magia e viaje no tempo ao ver a abertura da animação SHAZAM! dos anos 1980.

Ouça a Rádio WXYZ aqui.

☛ É nesse espírito de transmissão que a série “Monumentos Animados da Nerdice” encerra suas expedições arqueológicas e visitações turísticas. Se você conhece outros monumentos animados, comente aí. Quem sabe não faremos um segundo tour por entre outros patrimônios da nerdice?