Três meses depois de a Motorola anunciar o lançamento de seu tablet “multimídia” Xoom 2 Media Edition, com 8,8 polegadas de tela, foi a vez do seu irmão maior de 10,1 polegadas chegar ao Brasil. Com uma “pegada” mais empresarial, o Xoom 2 se revela um bom companheiro de trabalho alternativo ao “limitado” iPad, já que chega às lojas com o Android, conhecidamente flexível, apesar de menos rico em seu catálogo de aplicações.
Se você pensa em usá-lo para trabalhar, é possível que o Xoom 2 surpreenda. Veja nossas considerações neste review.
Motorola Xoom 2 (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)Motorola Xoom 2 (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
Nas mãos
É perceptível o trabalho que a Motorola fez para que o tablet tivesse um bom e confortável manuseio. Horizontalmente, as pontas curvadas e emborrachadas se encaixam muito bem nas mãos, seja colocando as extremidades nas palmas, seja centralizando as mãos com as laterais.
Xoom 2: posição das mãos (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)Xoom 2: posição das mãos (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
Apesar de muito rentes, os botões de volume e de bloqueio de tela se encontram exatamente na altura de onde os dedos da mão direita ficam acomodados, e é fácil manipulá-los sem precisar virar o tablet para olhar, já que os botões têm marcadores em alto-relevo.
Botões de volume e bloqueio de tela do Xoom 2 (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)Botões de volume e bloqueio de tela do Xoom 2 (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
O problema acontece é no modo vertical. Ao contrário do seu irmão menor “Media Edition” (com 8,9 polegadas de tela), o Xoom 2 não parece funcionar muito bem em pé, nas mãos. A distribuição do peso do tablet não é muito boa, e foi difícil achar alguma posição minimamente confortável. Logo sente-se a vontade de voltar para a posição horizontal. 
O design do Xoom 2 não favorece a operação na vertical (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)O design do Xoom 2 não favorece a operação na vertical (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
Apesar de parecer óbvia a opção pela navegação horizontal, seria mais fácil relevar essa questão se os vários apps para tablets Android não parecessem versões para smartphone esticadas de ponta a ponta, como o app do Facebook e do Twitter. Neles, o consumo de conteúdo faz mais sentido verticalmente. E aí o tablet é mais confortável horizontalmente.
Na horizontal, alguns apps deixam espaço de sobra. Na vertical, a navegação não é tão boa (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)Na horizontal, alguns apps deixam espaço de sobra. Na vertical, a navegação não é tão boa (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
Reforçando essa ideia do conforto em modo paisagem, as bordas emborrachadas do tablet só acompanham as laterais. Centralizada na parte de cima há uma câmera de vídeo HD, voltada para a frente de quem opera, e uma câmera para videochamadas, bem como um sensor infravermelho para operar eletrônicos como TVs e DVDs. Sobre essa parte, não há nenhuma reclamação.
Ainda em cima, duas caixas de som estéreos apontam para o mesmo lado da câmera, para fora. No mínimo, essa estranha escolha só é entendida se a Motorola espera que você use esse tablet apenas sobre uma mesa. Assim, o som rebaterá e voltará para você. Fora isso, ela servirá melhor como um componente ruídoso do ambiente onde você estiver do que alto falantes para uso próprio.
Detalhe das caixas de som, ca câmera, do infravermelho e da entrada para fones de ouvido no Xoom 2 (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)Detalhe das caixas de som, ca câmera, do infravermelho e da entrada para fones de ouvido no Xoom 2 (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
Outro detalhe é a posição do fone de ouvido: se você tem o costume ou gostaria de poder plugar a saída de áudio do tablet a algum eletrônico dedicado, como um amplificador, ele realmente não poderia estar em posição melhor. Para consumo próprio, no entanto, você vai ter que se acostumar com o fio passando na frente da tela ou atrás do tablet.
Saída de áudio do Xoom 2 (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)Saída de áudio do Xoom 2 (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
Em qualquer lugar
Se por um lado o peso sob as mãos poderia ser um pouco (sem exageros… realmente “um pouco”) mais leve, no transporte você não sentirá incômodos. Graças a sua tela Gorilla Glass e ao seu tamanho e formato, é possível até guardar o Xoom 2 desprotegidamente dentro de praticamente qualquer bolsa feminina. Em mochilas, o tablet some entre livros e papéis.
Xoom 2, dentro de uma bolsa feminina e de uma mochila (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)Xoom 2, dentro de uma bolsa feminina e de uma mochila (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
Mas uma coisa deve ser levada em conta: torções (!). Durante os testes notamos que o tablet é suscetível a defeitos no touchscreen caso o Xoom 2 venha a ser torcido, mesmo que acidentalmente. Na prática, se você não protegê-lo entre outras superfícies planas e rígidas, como livros ou uma capa própria, uma hora ou outra você sentirá que o tablet não responderá aos seus comandos.
Estrutura do Motorola Xoom 2 é suscetível a torções  (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)Estrutura do Motorola Xoom 2 é suscetível a torções (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
Apesar dessa sensibilidade, vamos combinar: se você investe em um eletrônico como esse, de grande valor financeiro e pessoal, não custa nada cuidar bem dele.
Falando em cuidados, a tela do Xoom 2 parece ter uma tendência natural a acumular impressões digitais, mas esse detalhe tem o seu valor. Afinal, quanto suor e sujeira já não deve ter sido esfregado na tela para ela chegar a esse ponto?
Tela suja do Xoom 2 (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)Tela suja do Xoom 2 (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
Operando
Não há mistérios nesse quesito. O Xoom 2 roda o já conhecido Android em sua versão 3.0, também chamada de Honeycomb. Para quem se preocupa com updates, a Motorola já prometeu que o tablet receberia sua versão com Ice Cream Sandwich (4.0) em breve.
Com a interface limpa e sem modificações próprias, o Android roda “bem” como sempre foi nesta versão (para quem não sabe, esta foi a primeira versão do Android desenvolvida para tablets).
A interface visual do Xoom 2 é limpa, sem modificações (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)A interface visual do Xoom 2 é limpa, sem modificações (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
A câmera, como em todo tablet do mercado, é capaz de tirar fotos medianas, suficientemente boas para registrar algum objeto ou papel sob uma mesa, ou para capturar algum vídeo corriqueiro, como uma palestra, talvez. É o tipo de recurso que está lá pela praticidade, para que você não tenha que puxar uma câmera para tirar uma foto de algo que queira compartilhar rapidamente.
Apesar de ainda não contar com um vasto catálogo de apps para tablets, o Android no Xoom 2 já vem com algumas opções pré-instaladas de apps pagos, para ligar o tablet e já começar a trabalhar. O editor de documentos, planilhas e apresentações recém-comprado pelo Google, Quickoffice HD, é o mais “importante” deles. No meio há também o app para desenhos e anotações Skitch, os apps para encontros (profissionais) virtuais GoToMeeting e o Fuze Meeting, o serviço de desktop virtual Cytrix, dentre outros.
Há vários aplicativos já pré-instalados, como o Fuze Meeting e oQuickoffice HD (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)Há vários aplicativos já pré-instalados, como o Fuze Meeting e o Quickoffice HD (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
Ainda sobre os apps, para navegar na internet sugerimos que – antes de tudo – você instale o Opera ou outro navegador de sua preferência, pelo Google Play. Durante os testes, o navegador do Android foi encerrado inesperadamente e inexplicavelmente diversas vezes. Sabemos que não se trata de um problema do tablet, mas do sistema.
Na maioria das aplicações abertas durante os testes, o Xoom 2 se comportou bem, sem problemas de performance ou processamento. Apenas quando o tablet foi submetido a grandes volumes de processamento gráfico, com jogos como o GTA 3 e o Nova, houve uma certa baixa de FPS (frames por segundo).
Nos testes de performance, o Xoom 2 se saiu melhor que seus concorrentes da geração passada, mas perdeu para dispositivos como o Galaxy Note, o último Nexus, o Razr e o Atrix 4G, esses dois últimos tops de linha da mesma fabricante. Nos testes da Antutu, o Xoom 2 perdeu colocações por seu baixo poder de processamento em gráficos 3D, mas ganhou certa vantagem com a boa memória RAM. No Quadrant, a boa colocação da CPU também o levou a índices mais altos, mas novamente os gráficos 3D e 2D deixaram a desejar.
Nos jogos, o desempenho do Xoom 2 foi mediano (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)Nos jogos, o desempenho do Xoom 2 foi mediano (Foto: Marlon Câmara / TechTudo)
Quanto a bateria, o tablet conseguiu durar uma jornada de trabalho intensa. O maior problema sobre esse quesito está na demora para carregar – algo que pode eixar de ser um incomodo se você deixá-lo carregando enquanto dorme.
Conclusão
A forma com que foi montado e como vem instalado de fábrica escancaram a sua essência: esse tablet foi feito para quem pensa em trabalhar e, ocasionalmente, se divertir. A tela grande e seu design robusto e sóbrio são apropriados para um ambiente profissional, e entre alguns papéis e pastas ele será um bom companheiro para manter você conectado e operante em qualquer lugar. Se o seu caso não for este, no entanto, é melhor procurar outras opções.
Ficha técnica
Sistema OperacionalAndroid 3.2 (Honeycomb)
Tela10,1 polegadas TFT/IPS com 1280 x 800 pixels
Processador1.2 GHz Dual-Core
Memória32 GB + 32 GB via cartão microSD
Câmera5 MP com gravação de vídeos em 720p + Flash LED
1.3 MP videochamadas
ConectividadeWi-Fi 802.11 a/b/g/n
AGPS, eCompass
Bluetooth 2.1 Stereo
Micro USB 2.0
HDMI
Bateria3.900 mAh
Wi-Fi: 6 horas
Video: 6 horas
Stand-by: 15 dias
Peso603 gramas
AcessóriosCarregador, Cabo USB, Manuais