Todos os anos a Ciência nos surpreende com descobertas incríveis, desde variações no genoma humano até as origens da memória e da nossa imaginação. Mas nem tudo são átomos no mundo científico. Recentemente a NASA descartou uma das mais aceitas teorias sobre a extinção dos dinossauros. Nasce a dúvida: como explicar o fato de alguns dos mais rotineiros e mundanos conceitos ainda serem um tremendo mistério para os mais brilhantes cientistas da década?
Certas coisas demandam um estudo muito longo, outras são mesmo inexplicáveis, mas enquanto você espera por respostas, confira a lista de oito pedras no sapato da Ciência moderna feita de forma bem-humorada pelo blog Cracked que nós reproduzimos a seguir: 
8. Por que nós dormimos?

por que dormimos? (Foto: Reprodução)

Até onde sabemos, todas as criaturas do planeta dormem exatamente como nós (embora o tempo que escolhemos para dormir varie). Então, obviamente dormir deve ter um propósito chave para tudo o que é vivo, não? Bem, a Ciência não faz ideia.Tudo que temos são explicações mal dadas com as quais nem todos os cientistas concordam.

Por que dormimos? (Foto: Reprodução)Por que nós precisamos dormir? (Foto: Reprodução)

Existe uma teoria que diz que dormir serve para “limpar” o cérebro após um longo dia de aprendizado. Enquanto vivemos, o cérebro faz milhões de novas conexões graças a tudo o que você faz ou vê em sua rotina.  Outra teoria diz que, ao invés de eliminar essas coisas desnecessárias, o cérebro pode estar reforçando aquilo que você realmente precisa. Cientistas observaram que quando os ratos dormem, usam os mesmos neurônios de quando se exercitam pela manhã. Isso significa que os roedores estão essencialmente revivendo o dia e praticando os mesmos exercícios. A observação levou aos estudiosos a admitirem a ideia de que dormir é crucial para formar memórias e aprender.
Mas existe um problema com as duas teorias. Plantas e microrganimos, conhecidos como “coisas sem cérebro”, possuem estados de dormência muito similares ao sono, o que gera dúvida sobre a teoria do “dormir é bom para o cérebro”. Ainda, cientistas descobriram uma mutação genética que permite as pessoas dormirem de duas a quatro horas por noite sem nenhum efeito colateral. Então dormir é inútil? Fique feliz por saber o mesmo que os cientistas sobre o assunto.

7. Quantos planetas existem no Sistema Solar?
sistema solar (Foto: Reprodução)

Desde que Plutão foi surpreendemente chutado do Sistema Solar, nós sabemos que a filiação ao “clube dos planetas” está sujeita a mudanças de acordo com os caprichos da Ciência. O que você pode não ter notado é que o atual inventário de oito planetas e um Sol é só e simplesmente o melhor que os cientistas podem fazer no momento.

quantos planetas? (Foto: Reprodução)Mais mudanças no sistema solar? (Foto: Reprod.)

Acredite, a maioria do nosso Sistema Solar ainda não está cartografada, ou seja, é desconhecida. A área entre Mercúrio e o Sol é brilhante demais para ser vista, e a área depois de Urano é escura demais. Cientistas ainda estão encontrando novos objetos aos montes. E alguns astrônomos acham que pode existir um segundo Sol.

Ainda, o fato de existir uma enorme lacuna nos asteroides depois de uma certa distância de Plutão diz aos cientistas que provavelmente existe um planeta do tamanho da Terra que vem engolindo essas rochas. Então, nosso Sistema Solar provavelmente voltará a ter nove planetas em breve.
 
Outra pequena anomalia  é que as órbitas dos cometas não andam agindo como previsto. A explicação? Deve existir outro planeta afetando-as. E não é algo que se possa simplesmente deixar passar. De acordo com a hipótese, ele é coisa grande – grande do tipo “quatro vezes o tamanho de Júpiter”. Chamado Tyche, essa esfera de gás gigante está longe demais para que a luz solar alcance, mas os cientistas estão muito confiantes que uma evidência retirada de um telescópio da NASA, irá provar a existência dele logo. Quem sabe, em poucos anos, nomear todos os planetas será tão difícil quanto nomear todos os Estados.
 
6. Por que o gelo é escorregadio?
gelo (Foto: Reprodução)

Dizer que o gelo é escorregadio é como dizer que a água é molhada – algo que sabemos desde que nascemos. Presumivelmente, seres humanos sabem que o gelo é escorregadio antes mesmo de descobrirem que o fogo era quente, ou que ele existia. Mas pergunte o porquê, e os cientistas não saberão dar uma explicação melhor do que um homem das cavernas daria. Nós simplesmente não sabemos porque podemos esquiar no gelo e não em pedregulhos. Embora até esse ponto, a maioria de vocês está provavelmente pensando “porque é água!” e é mais ou menos a resposta que os cientistas sempre dão. 

Até mesmo em livros mais modernos você pode ler essa explicação popular: diferente da maioria das substâncias, o gelo se expande quanto mais congela. Então quando você anda por ele, você está na verdade compactando ele de volta ao velho estado de água. Parece simples, não? Pena que, além de mal explicado, isso é mentira. Experimentos mostram que seu corpo franzino não exerce pressão suficiente no gelo para transformá-lo em líquido. Os cientistas não sabem explicar isso.
 
5. Como uma bicicleta funciona
bicicleta (Foto: Reprodução)

Elas existem desde o século XIX e seu design básico mudou relativamente pouco em 200 anos. Bicicletas sempre tiveram duas rodas, uma armação para conectá-las e o guidão para controlá-las, e claro uma pessoa para montar. No mínimo, você deve acreditar, o cara que inventou essa coisa toda sabia o que estava fazendo, mas depois de mais de um século de pesquisa, a Ciência foi forçada a concluir que as primeiras bicicletas foram inventadas não por algum tipo de procedimento científico, mas por uma tentativa qualquer seguida de erro. Até as mais modernas fabricantes de bicicletas admitem que não é engenharia ou computação que faz uma boa bicicleta e sim “intuição e experiência.”

Então, o que acontece quando você pergunta aos cientistas o que exatamente faz uma bicicleta estável? Ou o que a mantém em movimento? Ou como as pessoas a controlam?  Na verdade, todos eles admitem que mesmo que algumas pessoas venham com cálculos de como montar em uma bicicleta ou como elas funcionam, essas equações são muito mais uma enrolação. Um pesquisador da Universidade de Cornell até disse uma vez que absolutamente ninguém entende direito o que faz uma bicicleta fazer essas coisas todas.
 
#4. Como vencer no jogo Paciência
paciencia (Foto: Reprodução)

Provavelmente você está lendo isso no computador. E convenientemente, ao alcance de seus dedos está um dos mais jogados e viciantes jogos de todos os tempos: Paciência. Todos nós em algum momento, chegamos a dez partidas consecutivas sem ganhar, paramos de jogar e sentamos para tentar descobrir o segredo. Como não conseguimos ganhar sempre?

Tudo é mistério desde o século XIX. Grandes matemáticos abertamente admitem que é uma das maiores “vergonhas da matemática aplicada” o fato de nada ser exatamente claro sobre o jogo. Por exemplo, quando os nerds da matemática tentaram encontrar as condições de vitória, depararam-se com um problema. Eles não chegaram a uma ideia fixa de quantas combinações de mãos são vitoriosas. Vieram com uma porcentagem aproximada que era algo em torno de 80% ou 90%. Mas pense: quando você joga paciência, você ganha pelo menos oito de 10 partidas? 
 
3. Quantas espécies de animais existem?
espécies (Foto: Reprodução)

No século XXI, os dias de Marco Polo e Colombo ficaram para trás. Ninguém está explorando novas terras e encontrando criaturas exóticas das quais o resto do mundo duvidaria. Então, certamente, já que pisamos em todos os solos desse planeta azul, deveríamos saber quantas espécies existem no planeta, certo?

Não chegamos nem perto. Quando você perguntar aos taxonomistas (cientistas especialmente encarregados de encontrar e catalogar animais), eles vão dizer que ainda precisam de muito tempo para encontrar todas as criaturas que vivem no planeta. E, apesar de trabalharem nesta missão por quase 250 anos, e descobrirem mais de 15.000 seres vivos novos a cada ano, os taxonomistas não tem a menor ideia de quantas espécies vivem na Terra.

2. O tamanho da costa de um país
tamanho (Foto: Reprodução)

De todas as matérias que aprendemos na escola, a que possui menos mistérios é provavelmente a Geografia. Os continentes, rios e montanhas não vão a lugar nenhum. Pelo menos não tão rápido. Acontece, de repente, de você se enganar sobre qual é a montanha mais alta ou o maior deserto do mundo, mas até aí, tudo é uma questão de memória ou de buscar na internet. Afinal, são apenas medidas! Nesse caso, com certeza o comprimento da costa do seu país não é algo que se discuta.

tamanho da costa (Foto: Reprodução)Medições da costa podem variar (Foto: Reprodução)

É, mas as estimativas variam e muito. A CIA chegou a listar oficialmente o comprimento da costa dos EUA como em torno de 12.380. Mas outro estudo surgiu com 29.093 milhas. No fim, a National Oceanic and Atmospheric Administration veio com 95.471.
Diferenças exorbitantes que comprovam que esse tipo de medição não é nada simples ou indiscutível, como medir uma linha reta. É complexo e tende a exageros. A razão é que, dependendo da quantidade de detalhe da costa você deseja medir, sempre tem um resultado final diferente. Se você quer apenas um esboço da medida, você pode obter um resultado semelhante ao da CIA. Mas quando se faz a mesma medição dessa vez considerando detalhes como pequenos recuos e curvaturas, obtém-se números bem maiores.

1. Como funciona a gravidade
gravidade (Foto: Reprodução)

É a gravidade. Existe algum conceito no universo que seja mais básico que esse? Você joga a coisa para cima, ela cai. O que há para entender? Acontece que há quatro forças básicas que mantêm o universo unido, e dessas quatro, a gravidade é a única que não faz qualquer sentido. Especificamente, como pode ser tão incrivelmente fraca e incrivelmente forte, ao mesmo tempo.

A gravidade mantém o Universo inteiro unido, e não importa para quão longe você viaje, ela nunca desaparece. E, no entanto, é a força mais fraca que existe. Para ilustrar, sabe quando você aproxima dois ímãs e eles grudam? Essa força é na verdade 10 a 36 vezes mais forte que a gravidade.
 
Para piorar, no nível dos átomos, moléculas e outras coisas menores, a gravidade simplesmente para de funcionar. Na verdade, gravidade é uma das maiores razões para físicos quânticos e físicos comuns não terem nada para dizer uns aos outros. Nós sabemos mais sobre o que acontece dentro de um átomo do que porque uma bola cai depois que jogamos ela para cima. 
 
Via Cracked

COMPARTILHAR
Posts anteriorE-mail completa 40 anos de vida neste mês de outubro
Próximo PostEmpresa demite funcionário por usar foursquare
Faustino Neto- O Nerd Tatuado Editor geral, editor de vídeo, fundadorOcupação: Empresário, blogueiro , youtuber, social mídia, fotógrafo, colecionador. Base de operações: Arapiraca/Alagoas Ações Nerd: Livros, Games, RPG, HQ, cinema, STAR WARS, colecionáveis, fotos , tatuagem, Simpsons, breanking bad, Game of thrones e outras series Poderes mutantes: Ter lag quando estou conversando Viaja sem sair do lugar