Pensem num jogo com muita ação, muitos tiros e muitos inimigos. Um jogo onde muitas cabeças rolam, literalmente. Essa é a premissa de NeverDead, jogo apresentado pela Konami durante a Konami Gamers Night, um evento realizado pela empresa e dirigido para a mídia especializada, que aconteceu no último dia 14 em São Paulo.

Bryce Boltzmann, protagonista de NeverDead (Foto: Divulgação)Bryce Boltzmann, protagonista de NeverDead (Foto: Divulgação)

O jogo ainda está em fase de desenvolvimento e todos os presentes tiveram a chance de jogar a versão demo, com alguns poucos bugs, mas nada que impeça o jogador de ter uma impressão de como a versão final será, depois de todas as melhorias necessárias. A história de NeverDead mostra o personagem Bryce Boltzmann, um cara que recebeu uma maldição na qual ele se torna imortal. Isso faz com que ele possa perder pedaços de seu corpo e continuar vivo e regenerando seus ferimentos.

A missão de Bryce é procurar demônios e uma cura para a sua maldição, e para isso ele conta com a ajuda da companheira Arcadia. A ação de NeverDead é no mínimo interessante, pois o jogador frequentemente poderá enfrentar um monstro, e durante alguns ataques inimigos, ter o seu corpo decepado, ou então o jogador poderá arrancar o próprio braço com a outra mão, utilizá-lo como uma arma, matar o inimigo batendo com seu braço e depois recolocá-lo de volta em seu lugar.
Existem momentos onde o jogador perde literalmente todos os membros do corpo, estando apenas com a cabeça rolando pelo cenário, o que é bem engraçado. A parte visual do jogo é interessante, mas não é inovadora. Apenas aceitável para os padrões de jogos atuais. Os efeitos especiais são um caso à parte, como já citamos o fato do protagonista usar seus próprios membros como armas.

Decapitações marcam a ação de NeverDead (Foto: Divulgação)Decapitações marcam a ação de NeverDead (Foto: Divulgação)

Em momentos de desespero, o jogador pode também “grudar” uma perna e um braço na cabeça, e assim atirar usando o braço que ficou colado. É bizarro como a imagem mental que se forma ao ler essas palavras, e é bem interessante e engraçado. Os comandos do jogo não eram ruins, apesar de ser uma versão demo. As armas causam um dano consideravelmente mais alto do que o “braço porrete”, dando mais vantagem às armas de longo alcance.
Mesmo sendo poucos minutos de jogo, a experiência de NeverDead deixou os jogadores com vontade de querer experimentar mais. E para isso teremos que aguardar até o final de 2011, onde será lançado para PlayStation 3 e Xbox 360.