“Emponderador, visceral e porradeiro”.

A história se passa num futuro distópico e hipertecnológico, onde duas mercenárias de patente alta (mas sem bigode grosso) recebem um convite de um contratante misterioso com um desafio que irá tirá-las da rotina.

Extremamente sem escrúpulos, pudores e “mimimis”, Molly Whooped te dará uma sensação de imersão profunda na história, logo nas primeiras páginas e com aquele gostinho de quero mais, claro!

A narrativa é dinâmica, a porradaria come solta e a arte mistura preto e branco com detalhes coloridos, que proporciona uma ótica de observação maior para esses detalhes, que – futuramente – possam fazer diferença na história. Até então, esse estilo de arte é novidade pra mim e já achei fantástico!

O roteiro é assinado pela brasileira Alex Griffin e arte pelo André Meister (extremamente observador e criativo).

Antes de me despedir não se esqueçam: “Se a vida lhes der porrada, respondam com… BALAS!”

Mais informações:

André Meister

Twitter e instagram: @mollywhooped

E-mail: mollywhooped@gmail.com

Até a próxima e obrigada pelos peixes!!!