Uma breve resenha sobre o legado de Scarlett Johansson

Eu particularmente a vi a primeira vez na comédia romântica O Diário de Uma Babá, onde ela fazia par em cena com o até então desconhecido Chris Evans, que mais tarde o encontraria novamente nos filmes solos do Capitão América e é claro na saga dos Vingadores.

Mas antes mesmo de ser heroína da Marvel, Scarlett já era um belo e renomado rosto em Hollywood, se despontando a cada papel, seja em filmes de época, contemporâneo, drama ou ficção científica, lá estava ela brilhando como sempre, fazendo a sua parte com maestria, seja no papel principal ou secundário.

Esse ano de 2020 (mesmo com os atrasos de tudo devido a situação da pandemia) Johansson finaliza sua história na Marvel com o filme Viúva Negra, que chega às telonas brasileiras dia 29 de outubro, uma semana antes dos EUA, 06/11!


Scarlett Johansson conseguiu um marco recentemente na cerimônia do Oscar, um feito que só aconteceu 12 vezes nessas mais de 90 edições da estatueta de ouro; nossa eterna #Lucy conseguiu ser indicada em duas categorias numa mesma noite: melhor atriz (por Historia de Um Casamento) e melhor atriz coadjuvante (por Jojo Rabbit). UAU!!!

Não levou pois já tinha favoritismo de outros nomes, mas sem dúvida, todos puderam ver o potencial de quem pode ser maior do que qualquer efeitos especiais ou visuais que limitam sua performance… Scarlett pode ser do mundo dos heróis dos grandes estúdios? Sim, também, porém ela é da naturalidade, dos personagens comuns, do cotidiano, nos quais a mesma faz brilhar emprestando sua atuação visceral e marcante.

Leia Mais
Kinect sendo utilizado para venda de calças
%d blogueiros gostam disto: