Fala galera nerd! Aqui é a Naná debutando no Nerd Tatuado. E começo trazendo notícias boas, de nada.

Na semana passada, a Writers Guild of America (WGA) fez uma votação esmagadora com 96% de votos favoráveis e foi aprovada uma greve para começar hoje, 02 de maio. Pra quem não sabe, a WGA é a instituição sindical que representa os roteiristas de TV, rádio, cinema e demais mídias. Já a Alliance of Motion Picture and Television Producers (AMPTP) representa os estúdios. As duas partes já vinham negociando há um tempo, mas não chegaram a um acordo. Até agora.

Entre outras muitas reivindicações, os roteiristas pedem maior participação dos estúdios no pagamento dos planos de saúde, aumento no salário base e, essa é novidade, estão questionando o modelo de pagamento das empresas de streaming, como a Amazon Prime, o Hulu e a nossa amada Netflix. Os valores que essas plataformas pagam é muito inferior que os das empresas de televisão e os roteiristas querem igualar esse valor.

Hoje as duas instituições se reuniram para mais uma rodada de negociações e, pelo jeito, chegaram a um acordo. Para a nossa alegria!

“Ah, Naná, mas pra que falar disso?”

Bom amiguinho, não custa nada a gente esclarecer quais seriam as possíveis consequências de uma greve dos roteiristas nesse momento em que algumas séries estão terminando, outras estão começando as suas produções e ainda tem aquelas que nem saíram do papel ainda.

“Tá bom! Então me conta como uma greve de roteiristas poderia me afetar.”

Isso depende, amiguinhos. Lembram daquela greve de 2007/2008? Ela começou em novembro e se estendeu até fevereiro, com isso várias séries atrasaram as suas produções e estreias e algumas terminaram suas temporadas mais cedo. Se essa greve acontecesse e durarasse muito tempo a mesma coisa poderia acontecer. Algumas séries poderiam ter um gap maior entre uma temporada e outra, outras poderiam acabar sendo menores que o planejado, mas são os talk shows que seriam afetados imediatamente. Programas como os do Jimmy Fallon e Stephen Colbert, por exemplo, usam assuntos atuais e do dia a dia para montar seus roteiros. Aí você já pode imaginar o estrago: sem roteiristas para criar as piadas, monólogos, entrevistas, etc, é muito difícil um programa inédito ir ao ar. ~Trágico!~

“Mas, Naná, eu não assisto muito esses late shows. Então eu estria de boa, né?”

Eu também não assito, mas dependendo da duração de uma possível greve nossas séries favoritas podem sofrer com isso. Deixa eu te mostrar: uma das séries que seria mais prejudicada é The Walking Dead porque acabou de começar a produção da 8ª temporada. Se a greve realmente rolasse, as atividades irião parar e tudo seria adiado até o fim da greve. Isso vai geraria um grande prejuízo pra a AMC, canal que transmite a série nos States, devido aos anunciantes e patrocinadores, e também porque a série vem apresentando queda na audiência. Se a estreia da 8ª temporada fosse empurrada pra lá de outubro, isso pode só se agravar.

Luke Cage, Jessica Jones e America Horror Story nem começariam a ser planejadas até o final da greve. Quanto à American Crime, Versace e Katrina, e o próximo ano de Feud que já estão sendo escritas e ficariam em stand by. Inumanos já tem data de estreia definida e provavelmente seria adiada, pois a produção dos seus oito episódios já começaram. As séries que estão com as filmagens em andamento, como Mr. Robot, seriam afetadas financeiramente por ter que dar uma pausa não planejada nas gravações que já estão programadas.

Se a greve durasse tanto quanto a de 2007, as séries que estreiam em setembro e outubro sofreriam adiamento, pois as gravações normalmente começam em junho/julho. Entre elas estão Grey’s Anatomy, The Big Bang Theory e Empire, mas o máximo de prejuízo que essas séries poderiam ter é perda na audiência (o que é muito difícil já que são queridinhas da TV americana). Agora quando o assunto é reality show a coisa muda. Esses poderiam ter episódios a mais para compensar a falta de conteúdo inédito e original durante a greve, como aconteceu com Amazing Race e Big Brother em 2007.

Porém algumas séries não seriam afetadas. Game of Thrones, Rwin Peeks, Orange Is The New Black, Orphan Black, American Gods, Outland, Preacher e Stranger Things já encerraram as produções e estão prontas, então não teria sentido adiar suas estreias.

Com toda essa informação em mãos vamos pensar um pouquinho. Junta a falta de conteúdo novo com o fato que as emissoras teriam que usar e abusar do artifício das reprises para preencher a programação diária, quem se beneficiaria com essa greve? Acertou quem disse Netflix! Quem disse Hulu, Amazon Prime, HBO GO, etc, também acertou. Arrisco dizer que as pessoas apelariam às plataformas de streaming durante uma greve de roteiristas atrás de conteúdo novo. Afinal quem é que já viu todo o catálogo da Netflix, não é mesmo?

Então é isso, amiguinhos. Ainda bem que essa greve não vai rolar. Podemos ficas sossegados que nossas séries vao continuar como planejado.

(Mais informações – em inglês: Variety; Washington Post)