Crítica| Carter- imersão em games ou metaverso?!

Carter novo filme da Netflix que estreia nesta sexta- feira 5 de agosto é um filme cheio de ação com muitas lutas e batalhas mas também com suspense que vai te prender a atenção mas com um adicional que é você ser inserido em uma imersão de games em um filme

Carter

O estilo de filmagem lembra muitos os jogos de primeira pessoa como Counter Striker, The Last of Us, Grand Theaf Auto e até mesmo Call of Duty  com A identidade Bourne e Missão Impossível

Nele acompanhamos Carter (Joo WonSung-jae Lee) um homem sem memória que é perseguido e forçado a cumprir uma missão quase que suicida em resgatar uma  jovem enquanto enfrenta várias lutas e batalhas sendo guiado por uma voz em sua cabeça que usa um dispositivo para guiá-lo

 metaverso ou imersão em games?!

Acredito que muitos gamers irão gostar bastante do formato desse filme, mas apesar de ser um filme com bastante ação pode ser contraditório mas achei que não deveria ter sido um filme de 2 horas e meia já que apesar disso  a impressão que dá que ele é lento mesmo com câmeras a todo vapor e a pancadaria rolando solta

As rotações da filmagem podem causar um pouco de vertigem e dor de cabeça  mas é um filme muito interessante ao que se propõe talvez teria sido melhor que a direção fosse mais segura e um roteiro mais enxuto e não focasse em tantos detalhes nos embates

Teria sido interessante se a série do Resident Evil tivesse usado um pouco desse estilo de filmagem

Me senti como se jogasse  em algum game de primeira pessoa mesmo não sendo uma pessoa que joga games nesse estilo, eu recomendo ele

Ficha Técnica 
Direção: Byeong-gil Jeong

 

 

 

Nerd baixinha sem tatoo, apaixonada e entusiasta da cultura pop, ama tanto cinema como livros, série e tv.

You don't have permission to register